O Crossover foi para o BBB, mas a pergunta ficou: Cuiabá, a nova Camboriú?

Uma pergunta que cada vez mais é repetida, um review atrasado e uma entrevista bacana.

A festa Crème de la Crème aconteceu no fim de fevereiro na capital (veja nosso post da festa aqui e um vídeo que postamos).

Durante a apresentação do projeto Crossover, formado pelos DJs Júlio Torres e o violinista Amon Lima surge o “torpedo”:

Algumas semanas depois, um certo gringo comenta que durante a entrevista que o Factóide fez com ele, não havia comentado da beleza feminina da cidade.

Esse era um dos ingredientes da festa que o projeto Crossover tocou.

E por falar em Crossover, um projeto que muitos acham apropriado para festas estilo Champagne e paquitagem, se mostrou consistente, com um som muito bacana e abusaram de novas tecnologias enriquecendo a apresentação.

O que obriga a abrir um parênteses na discussão desse post, para reproduzir as respostas bacanas que o Júlio Torres nos deu em uma entrevista por e-mail dias depois da festa:

Factóide: 1 – Você produz música eletrônica já faz algum tempo (já devo ter mencionado algumas vezes o quanto curto Biruta), o que mudou no seu som depois da formação do Crossover?
Júlio Torres/Crossover: Biruta, uma faixa de 2004 que tenho muito orgulho, encontrei o Steve Lawler ele me comentou desse track, que saiu por seu selo.
Meu som não mudou nada, a verdade é que com o Crossover fazemos um som diferente do que faço sozinho, algo mais melódico e acessível para alguns ouvidos.

2 – Quem (no Brasil e no Exterior) faz um som que você considera como exemplo?
Essa é a tipica pergunta impossivel de citar todos, acabei de mixar minha 4º compilação e tem muita gente boa, do Brasil é impossível não falar do Gui Boratto, que estará do meu disco com uma faixa linda, Renato Cohen tambem respeito muito e tenho recebido muita coisa boa de artistas nacionais gente como Overplay, Ricardo Tatoo, Rodrigo Melo e por ai vai, já no exterior Fuckpony, Nick Curly, Ellen Allien, Joris Voorn e as coisa da Noir mexem comigo.

3 – Quais são os planos do Crossover para 2010? Alguma coisa no campo das produções?
Estamos trabalhando em novas faixas, e deixar nosso setup pro show mais inovador e interessante.

4 – E existe a possibilidade de mais alguem, como por exemplo o Junior Lima, integrar o projeto definitivamente?
Na verdade não, o que pode acontecer é de nascer um segundo projeto, que por enquanto é só especulação.

5 – Existem algum DJ (ou músico e/ou banda) com o qual vocês gostariam de produzir e/ou remixar?
Eu amaria fazer algo com Radiohead.

6 – Normalmente, o projeto Crossover é associado a eventos mais pops e/ou mais glamourosos (a festa em Cuiabá se chamava Créme de la Créme afinal), isso de alguma maneira incomoda vocês? Qual é o trânsito de vocês pelo lado mais underground da música eletrônica?
Fazemos musica para entreter as pessoas, quem da esses rotulos se somos mais pop ou não é voces da midia, se na festa as pessoas estão dispostas a experimentos pode ter certeza que faremos, tudo depende da festa. Em abril temos data no HOT HOT em SP, ja tocamos em diversas festas e clubs chamado de “Underground” e não foi problema porque nasci neste berço e sera até mais facil que tocar nas festas que voces chamam de POP.

A mini entrevista com Torres é bem esclarecedora (principalmente sua ultima resposta), o que faz retornar a pergunta: Cuiabá é a nova Camboriu?

Houve respostas positivas e negativas, mas também é importante ter noção como as pessoas enxergam o balneário catarinense, que reúne em suas proximidades baladas assumidamente pops e glamourosas mas também a Meca Eletrônica conhecida como Warung.

PS: Outro destaque da festa foi a apresentação do Gustavo Bongiolo, que tocou track do Faraz, LC Junior e Attik.

PPS: E não é que na festa do dia 17 de Março, o Crossover tocou no BBB 10, seria mais um indicio disso daqui?

PPPS: E você, o que acha disso tudo?

13 Respostas para “O Crossover foi para o BBB, mas a pergunta ficou: Cuiabá, a nova Camboriú?

  1. aquela mão com esmalte vermelho na foto seria do Di Cesar???

  2. Ótimo post Papz!!
    com relação a nova Ibiza!!! Segundo o google o interesse pela palavra DJ é maior no Mato grosso que em todos os outros estados confiram:

    http://www.google.com/insights/search/#q=dj&cmpt=q&geo=BR

  3. Caramba!

    Que dado maluco, Mateus!

    E o pior é que todo mundo tá querendo o Virual DJ! ;P

  4. Papz e Mateus…
    também achei esse dado mto malucasso!

    q coisa não!?

    e mesmo assim por aqui tuda parece meio igual, sem mtas vertentes e nem opções!

  5. segundo Boninho, no mín, 40milhoes de pessoas viram o Crossover no BBB

  6. Cuiabá, uma cidade cheia de beldades, bons djs, bons produtores, o melhor club do país e um dos blogs de maior credibilidade no país o Factóide.

    Fora isso Cuiabá, tem Copa, Pantanal, Chapada…

    Alguém quer mais?

  7. queria um fds com baladas de música eletrônica com vertentes bem diferentes! rrsrsrs

    caaaalma, amiiiigo amiiiigo!

  8. o Camilo Rocha no you foi algo que vc gostaria de ver entao gorduraz!!

  9. e concordo plenamente com vc!!!

  10. Ainda não conferi, mas parece que no club Clash em SP rola um dia assim Gorduraz, com várias vertentes no estilo “tudo junto e misturado”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s